Para que serve a meditação?

A meditação está se popularizando rapidamente no mundo ocidental. A cada dia mais pessoas reservam um espaço na agenda para meditar, da mesma forma que reservam um espaço para se exercitarem.

Entre essas pessoas estão atletas de alta performance, empresários de sucesso, donas de casa, dependentes químicos em recuperação, ateus e religiosos.

Está acontecendo com a meditação um fenômeno semelhante ao que ocorreu com o exercício físico. Ela está se transformando em um requisito básico para quem busca uma vida equilibrada.

O que está levando milhões de pessoas a incluírem a meditação em suas rotinas?

Para responder a essa pergunta e ir além de respostas prontas como “para controlar os pensamentos”, “para diminuir a ansiedade” ou “para relaxar”, nós temos que entender alguns aspectos do funcionamento da nossa mente.

Nossa mente está produzindo pensamentos o tempo todo. Esses pensamentos surgem um atrás do outro e constroem histórias com heróis, vilões, cenários inteiros, diálogos, cenas do passado reencenadas e futuros distópicos. É como uma fantasia épica sem fim acontecendo dentro da nossa cabeça, onde nós somos o personagem principal e estamos constantemente envolvidos em conflitos, dilemas e problemas.

Esses pensamentos vêm acompanhados de emoções e, algumas vezes, essas emoções são tão fortes que é como se você estivesse vivendo na pele aquelas cenas da sua imaginação.

Se esses pensamentos tomam um direcionamento negativo na forma de uma espiral descendente, onde um pensamento negativo atrai outros pensamentos negativos – que por sua vez, atraem emoções negativas -, a pessoa pode entrar em um estado ansioso ou depressivo.

Isso aconteceu comigo em 2015. Devido a dores crônicas, eu fiquei totalmente envolvido em pensamentos negativos a respeito do meu estado de saúde, o que causou uma espiral descendente de ansiedade, pânico, insônia e depressão, que só aumentava em intensidade conforme o tempo passava e atraía ainda mais emoções e pensamentos negativos, até que eu finalmente consegui me desconectar desses pensamentos e emoções através da meditação e recuperei a minha sanidade.

10% do nosso sofrimento nasce de acontecimentos no momento presente e 90% nasce de fantasias mentais sobre o passado e o futuro.

“Minha vida tem sido cheia de terríveis infortúnios, a maioria dos quais nunca aconteceram.” Michel de Montaigne.

Agora eu tenho uma boa e uma má notícia:

A má notícia é que nós não conseguimos controlar diretamente os nossos pensamentos.

Faça um exercício: tente não pensar em um elefante rosa.

Você conseguiu? Provavelmente não. Os pensamentos surgem como uma resposta a estímulos externos e como consequência de eventos passados, crenças arraigadas e genética. Não é possível alterar pensamentos diretamente usando força de vontade. Para alterar nossos padrões de pensamento de forma eficiente nós temos que questionar crenças básicas – eu vou tratar disso em outros artigos no futuro.

Na verdade, quanto mais nós tentamos controlar os pensamentos, mais agitados eles se tornam. É como tentar alisar a superfície de um lago usando um ferro de passar roupas, não vai funcionar. Controlar os pensamentos diretamente é algo que todo meditador iniciante tenta fazer e falha miseravelmente.

A boa notícia é que para resolver o problema você não precisa fazer absolutamente nada com os seus pensamentos. Eles podem continuar lá, contando histórias fantásticas e assustadoras sobre o passado e o futuro, e você pode ficar aqui, no presente, totalmente em paz e tranquilo.

É aqui que entra a meditação.

O problema é que estamos tão envolvidos com os pensamentos que acreditamos que somos esses pensamentos. A nossa identidade está emaranhada com aquilo que nasce espontaneamente dentro da nossa consciência.

Você pensa: “Eu estou com medo”, como se o medo e você fossem uma coisa só – ou seja, nesse caso você está identificado com o medo, você é o medo – quando o que está acontecendo de fato é que, naquele momento, existe um pensamento de medo surgindo na sua mente, e a interpretação correta dos fatos é “Um pensamento de medo surgiu na minha mente, neste momento”.

Quanto mais os pensamentos são observados como se fossem um fenômeno climático e impessoal, mais essa identificação é retirada. É como se não acreditássemos mais em tudo o que a nossa mente produz. Sem essa total identificação, os pensamentos perdem a força e não conseguem gerar emoções negativas. É para isso que serve a meditação.

Para retirar a nossa identificação com os pensamentos, o primeiro passo é perceber com clareza sua natureza espontânea e impessoal, ou seja, nós não estamos escolhendo os pensamentos, eles estão surgindo por conta própria.

Eu me lembro de quando eu percebi que não precisava mais me identificar com todos os meus pensamentos negativos. Frequentemente eu dava gargalhadas das histórias absurdas e ameaçadoras que eles contavam durante a meditação. Hoje em dia essas histórias perderam a força e quase não aparecem mais.

É como estar, em um momento, no meio de uma tempestade, sendo fustigado pelo vento e a chuva dos pensamentos e emoções negativas, e, no outro momento, estar dentro de casa, assistindo a tempestade da janela. Essa é a diferença entre estar totalmente identificado com pensamentos negativos e ter a capacidade de criar um espaço entre a nossa atenção e os produtos da nossa mente.

Meditação parece um conceito absurdo para quem nunca meditou, mas se eu pudesse ensinar apenas uma coisa a alguém, essa coisa seria a capacidade de observar passivamente os próprios pensamentos e emoções. Um mundo novo de possibilidades se abre para quem desenvolve essa habilidade.

Parar de se identificar com todos os pensamentos é como despertar de um sonho e perceber que nós estamos seguros no presente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s